30
out2021
16h30
Até
31
dez2021 sexta
18h00

ARBÓREA

Marinha Grande
Museu Joaquim Correia Museu Joaquim Correia
Fotografia

Sinopse

O que há em comum entre uma árvore e uma bailarina?

Este poderia ser o ponto de partida da exposição ARBÓREA, de Rute Violante. Como tantas vezes acontece no seu trabalho fotográfico, existe uma busca artística, espiritual e filosófica que transparece de forma subtil nas fotografias apresentadas. Cada foto é um convite a parar, a sentir e a simplesmente estar. Cada foto contraria a voracidade dos relógios a que todos nos submetemos, desafiando-nos a que sintamos o tempo, em vez de o perseguir, em vez de o tentar segurar.

Entre o sorriso e o desassossego, a natureza e a humanidade, a urgência e a contemplação, o movimento e a paragem, a totalidade e o pormenor, o interior e o exterior, a intemporalidade e o momento, o trabalho da Rute mergulha nas contradições aparentes e nas conexões invisíveis para oferecer uma perspectiva do mundo tão serena e bela quanto instrospectiva e questionadora. Propondo uma criação artística que comunica simultaneamente com a emoção e a razão,  com a alma e o corpo, com a pele, ARBÓREA oferece uma possibilidade de mudança e formula um convite ao movimento.

Porque o que há em comum entre uma bailarina e uma árvore é o movimento. A Rute lembra-nos que movimento não é apenas o que se vê ou mede. A imobilidade esconde infinitas danças, apenas perceptíveis para quem as souber contemplar; a Rute sabe, e é isso que nos propõe nesta exposição: o seu olhar sobre as danças da imobilidade. 

Resta-nos aceitar o convite e dançar. Como dançam as árvores.

Paulo Kellerman

Ficha técnica

Fotografia analógica e digital: Rute Violante

www.ruteviolante.com

www.facebook.com/magnificenttrees

www.instagram.com/magnificent_trees

 

Bailarina: Inesa Markava

www.instagram.com/imaginary_museums

 

Sinopse: Paulo kellerman

www.instagram.com/paulokellerman

 

Outras informações

Árvores: Pinheiros serpente de São Pedro de Moel

As fotografias do pinheiro serpente do talhão 231 foram captadas para o Centro PINUS no contexto da candidatura deste pinheiro a "Árvore do Ano" (edição de 2020).

 

A exposição pode ser visitada de quarta-feira a sábado, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 (últimas entradas 12h30 e 17h30), até 31 de dezembro de 2021.