11
nov2021 quinta
21h30 Até 23h30

B&M 2021 - ROCKFEST: Cine-Concerto "O Ultimo dos Homens" de F.W. Murnau

Alcobaça
Museu do Vinho de Alcobaça Museu do Vinho de Alcobaça
Cinema Música

Sinopse

ROCKFEST

Cine-Concerto: "O Último dos Homens" de F.W. Murnau, com Bruno Monteiro (Mr. Gallini), Kevin Pires e Ricardo Soares

 

Local: Museu do Vinho - Adega dos Balseiros

Horário: 21h30

Duração: 77 minutos

Público-Alvo: Público Geral

Classificação Etária: M/6

 

A convite do cineclube Aurélio da Paz dos Reis, no âmbito do ciclo de cinema ao ar livre “Agosto de Verão 2019”, é-nos proposto a criação deste cine-concerto partindo do pressuposto que o objeto teria condicionantes associadas (sessão familiar, cine-concerto ao ar livre, etc...), tínhamos como convicção encontrar uma obra fora do panorama corrente e explorar algo mais do que um simples filme musicado. Assim, partimos em busca de um objeto clássico que o tempo encarregou de desviar do prestígio da eternidade, “O Último de Homens”, um filme que pertence e representa um nicho, Kammerspielfilm, um movimento artístico fugaz que foi ofuscado pelo seu paralelo, o expressionismo, e assim transformado em algo de culto. Em complacência com a nossa necessidade pessoal, esta abordagem contemporânea tem como ponto de partida a conceção inicial que o próprio realizador, Murnau, fez na criação da obra. Primariamente despidos de abstracionismos, procurámos criar um foley realista dos espaços e ações do filme, tentando nunca perder, no som, a terna sensibilidade cinematográfica com que o realizador nos presenteia. Assim, munidos de uma estrutura sonora, a abstração pode ocasionalmente e propositadamente aparecer para nos revelar uma nova camada do filme, mimicando o engenho e criatividade da utilização da câmara e dos seus artifícios na montagem, podemos impulsionar a composição sonora e explorar momentos onde as possibilidades se multiplicam e almejam abranger mais do que a realidade da própria obra. Atingindo uma coerência entre o visual e o sonoro, ou pelo menos uma conformidade na sua relação, passamos para a harmonia e melodia da narrativa, pontuadas por toques de acordeão ou até por uma simples máquina de escrever, elevamos a intensidade das ações das personagens e dos próprios espaços que estas habitam. Existe a necessidade que tudo isto, tocado ao vivo, contenha não só uma coesão teórica, mas também uma coesão sonora. Para isso existe a modulação do som em tempo real, de modo a que todas as dinâmicas de cena, sejam elas no ecrã ou no palco, se encontrem unificadas pelo som e a sua homogeneidade. Declarando assim uma sincera admiração pela obra e o seu criador, enfrentamos esta aguilhoada da melhor maneira que sabemos arriscando não saber nada.

 

O ÚLTIMO DOS HOMENS (DER LETZTE MANN) DE F.W. MURNAU

Com: Emil Jannings (o Porteiro), Maly Delschaft (a sua sobrinha), Max Hiller (o noivo dela), Emilie Kurz (a tia do noivo), Hans Unterkircher (gerente do hotel), Olaf Storm (jovem hóspede), Hermann Vallentin (hóspede barrigudo), Georg John (Guarda nocturno), Emmy Wydaa (vizinha magra).
Drama, M/6, ALM, 1924, 77 min.


“O porteiro do Grande Hotel Atlantic é um homem admirado por todos no seu bairro e a sua importância está patente no uniforme elegante que enverga. Mas chegou o dia, aquele dia em que o diretor do Hotel decide reconverter as funções do seu velho porteiro, atribuindo o posto na porta giratória do Grande Hotel a um jovem formado para a eficiência do laboro moderno. Despido do seu uniforme, o seu pilar social, quais as consequências para este homem?”


PROGRAMA COMPLETO AQUI - https://bit.ly/3mRrg4n