07
nov2021 domingo
15h00 Até 16h30

B&M 2021 - TALK: UM CASTELO DE CARTAS, A ARTE PÚBLICA EM DEBATE

Alcobaça
Museu do Vinho de Alcobaça Museu do Vinho de Alcobaça
Pensamento

Sinopse

Talk - Um Castelo de Cartas: A Arte Pública em Debate, com Samuel Rama, José Mendes Rocha e Helena Mendes Pereira
Mesa redonda por ocasião da exposição "A Minha Casa é o Meu Jardim: Exposição de Arte Pública” de Thierry Ferreira
 
 
Local: Museu do Vinho de Alcobaça - Adega dos Balseiros
Horário: 15h00
Duração: 90 minutos
Público-Alvo: Público Geral
Moderadores: Alberto Guerreiro e Thierry Ferreira
Produção: Câmara Municipal de Alcobaça – Museu do Vinho de Alcobaça
 
 
Por ocasião da exposição “A Minha Casa é o Meu Jardim” de Thierry Ferreira, patente em Alcobaça, partindo do título da peça exposta (“Castelo de Cartas”) na Praça João de Deus Ramos, propõe-se uma mesa redonda sobre a arte pública.
A arte pública contemporânea é o resultado de uma mudança de paradigma que não se compadece com a imposição do senso comum e da “política do gosto”, mas antes aponta para uma transformação profunda de natureza conceptual e estética, suscitando uma autonomia plástica do objeto artístico conferindo à obra em si uma liberdade de ação do artista na proximidade com o público. Mas será mesmo assim? É essa mudança de paradigma confirmada no “estado da arte” atual? O próprio conceito em si carece de consensualidade (sobretudo no que toca às suas fronteiras conceptuais e contextuais) e, não raras vezes, parece induzir em equívocos que obrigam a uma reflexão mais aprofundada e comparativa do panorama das obras existentes em espaço público. Uma reflexão que inclui, entre outros propósitos, o papel que o objeto artístico desempenha num sistema integrado que é indissociável de propriedades simbólicas, estéticas, representativas, e que por muito livre que seja a obra de arte em si, necessariamente, não escapa à inevitabilidade da assimilação e legitimação sociocultural.
 
 
 
SAMUEL RAMA, ARTISTA PLÁSTICO, CURADOR E PROFESSOR NO IPL
Licenciado em Artes Plásticas, na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha, onde é docente desde 2003. Doutorado em Artes Visuais e Intermédia pela Universidade Politécnica deValência. Artista e professor, divide a sua atividade não só entre a escultura e a fotografia como repensa constantemente a complexa história da intrincada relação histórica entre estes dois suportes. De entre as suas exposições individuais destacam-se: Habitar a Penumbra (2005), Módulo – Centro Difusor de Arte, Oporto; MAGMA (2008), Galeria 111 – Lisbon e Oporto, SCANNING (2010) Arquivo Fotográfico de Lisboa, Lisbon; MEGAPARSECS (2012) Teatro da Politécnica, Lisbon. Das suas exposições coletivas destacam-se: 7 Artistas ao 10.º mês (2005), Fundação Calouste Gulbenkian, Lisbon; London Pilot 2, London e Da Outra Margen do Atlântico – Alguns Exemplos do Vídeo e da Fotografia Portuguesa (2005), Centro de arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro, Brasil. Finalista nos prémios: IV International Expanded Painting Prize (2007), Museo de Bellas Artes de Castellón, Espanha e na X Mostra Internacional UNION FENOSA (2008), Museo de Arte Contemporâneo União Fenosa, Coruña, Espanha.Está representado nas coleções do MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, Bartolomeu Cid dos Santos, Novo Banco, Fundação Bienal Cerveira, MAR (Museu de Arte do RIO, Rio de Janeiro, Brasil), Américo Marques dos Santos, Manuel de Brito, PLMJ, etc…
 
 
JOÃO MENDES ROSA, INVESTIGADOR, MUSEÓLOGO E CHEFE DIVISÃO DE CULTURA E ARTES DA CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS
João Mendes Rosa nasceu na Guarda a 14 de fevereiro de 1968. Tem duas licenciaturas, uma em História e outra em Artes Visuais. É mestre em Arqueologia pela Universidade de Salamanca em cuja Faculdade de Geografia e História é investigador desde 2005. Publicou até ao presente mais de uma trintena de livros, cujas áreas disciplinares se distribuem pela poesia, romance, ensaio, crónica, teatro, investigação histórica, paleografia, estudos arqueológicos e artísticos. Fundou, juntamente com alguns poetas e escritores, a revista literária Praça Nova (2019 e 2020). Criou o roteiro literário Percurso Unamuniano (Guarda) e é coautor da Cartografia Literária da Guarda. Foi coordenador, juntamente com Maria Andresen, das comemorações do Centenário de Sophia de Mello Breyner Andresen na Guarda integrado na programação nacional do Centro Nacional de Cultura, nas modalidades de poesia, artes plásticas, cinema, artes performativas, música e dança contemporânea. Foi diretor e autor do primeiro programa museológico do Museu Arqueológico do Fundão e diretor do Museu Regional da Guarda entre 2016 e 2020. Dirige, desde junho de 2020, a Divisão de Cultura e Artes da Câmara Municipal de Oeiras. Preside ao júri do Prémio de Poesia de Oeiras na vertente de 'Revelação'.
 
 
HELENA MENDES PEREIRA, CURADORA e INVESTIGADORA
É curadora e investigadora em práticas artísticas e culturais contemporâneas. Amiúde, aventura-se pela dramaturgia e colabora, como produtora, em projetos ligados à música e ao teatro, onde tem muitas das suas raízes profissionais. É licenciada em História da Arte (FLUP); frequentou a especialização em Museologia (FLUP), a pós-graduação em Gestão das Artes (UCP); é mestre em Comunicação, Arte e Cultura (ICS-UMinho) e Doutora em Ciências da Comunicação (ICS-UMinho), com uma tese sobre a Curadoria enquanto processo de comunicação da Arte Contemporânea. Atualmente, é diretora geral e curadora da zet gallery (Braga) e integra a equipa da Fundação Bienal de Arte de Cerveira como curadora, tendo sido com esta entidade que iniciou o seu percurso profissional no verão de 2007. No âmbito da educação e mediação cultural orienta, regularmente, visitas a exposições e museus de Arte Contemporânea, tendo já lecionado o tema em várias instituições de ensino. Leciona, desde setembro de 2018, na Universidade do Minho, nomeadamente no Instituto de Línguas e Ciências Humanas (Mestrado em Tradução e Comunicação Multilingue) e na Escola de Arquitetura (Licenciatura em Artes Visuais), como Professora Convidada.
 
 
PROGRAMA COMPLETO AQUI - https://bit.ly/2Zry9Sj