08
Fev2020 Sábado
11h00 Até 13h00

Encontro Internacional de Contadores de Histórias - Porto de Mós

Porto de Mós
Biblioteca Municipal de Porto de Mós Biblioteca Municipal de Porto de Mós
Património imaterial Teatro

Sinopse

Contar histórias é uma faculdade inerente ao ser humano. Esta arte está ligada à vida da própria Humanidade e não se pode dissociar da existência do Homem.

Este tipo de manifestação cultural caracteriza-se pela dinâmica interativa entre o contador e o ouvinte, transformando-se numa ferramenta de comunicação da memória da humanidade. A transmissão de mensagens através da expressão da palavra, entoada em voz alta e complementada com gestos, remonta às origens mais profundas do ser humano.

A voz do contador transforma-se numa memória viva que permite uma viagem às raízes da nossa existência e traduz-se num processo de consciencialização de si próprio enquanto ser que pensa, sente e evolui.

Contar histórias para crianças é uma acção que desenvolve o estímulo para a aquisição de conhecimentos e competências não só a nível da linguagem, mas também no desenvolvimento da personalidade.

Combater a iliteracia, compreender o mundo que nos rodeia e desenvolver o espírito crítico são pontos- chave neste processo recorrendo a adágios, contos tradicionais, trava línguas, narrativas e todas as formas de expressar memórias e mensagens que se transformem numa reflexão para cada ouvinte.

Ficha técnica

Com Rodolfo Castro, Antonella Gilardi e Tâmara Bezerra.

Produção: O Nariz Teatro de Grupo

Apoio: Câmara Municipal de Porto de Mós e Caixa Agrícola de Leiria

Outras informações

Rodolfo Castro

Melhor conhecido como «O pior contador de historias do mundo»
"No ano 1993 comecei a contar histórias profissionalmente. Esforcei-me sempre por ser o melhor. Para isso treinei, estudei, trabalhei...e não consegui. Quando comprovei que não podia ser o melhor decidi ser o pior... e consegui. Antes disso trabalhei de pedreiro e de carteiro, de sapateiro e de vendedor ambulante. Tentei o futebol e a actuação, fui professor de ensino básico e teve a minha banda de música. Vendi postais de natal nas ruas de Buenos Aires e artesanato no México. Sou escritor e formador creditado na área da literatura e dos contos.
Nasci e cresci em Buenos Aires, formei-me profissionalmente no México, hoje vivo em Lisboa, Portugal."

Tâmara Bezerra

Educadora, Escutadora, Contadora e Inventora de histórias, há mais de 25 anos dedica-se à narração oral de histórias, traçando sua trajetória sob forte influência da poética do sertão brasileiro. Professora universitária, também atua como formadora de narradores orais. É membro do grupo de estudos, pesquisas e partilhas com narrativas: Costureiras de Histórias, no Brasil; e associada da Ações & Conexões Associação Cultural, em Portugal. Autora de literatura infantil e infanto-juvenil, também possui publicações sobre a arte de histórias e sobre mediação de leitura. Recentemente, concluiu o filme documentário: Sete Histórias à Sombra do Cajueiro, em parceria com o cineasta Marcelo Paes de Carvalho. Um mergulho no gráfico nas paisagens narrativas de uma comunidade tradicional do Brasil, resultado do seu trabalho acadêmico, pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Antonella Gilardi

Bicho de montanhas e lagoas, a viver à beira do mar português faz anos, tem trilhado caminhos entre o teatro e a educação não formal cruzando nelesa narrativa e a narração. Gosta dos contos de autor, que vivem de ironia e de uma ilógica, harmoniosa incongruência, de contos que viram o mundo de avesso, que desconcertam e iluminam através de uma lógica rigorosa e surreal, fugindo um pouco da narrativa mais tradicional. E um canto e outro também vão entrando nos contos, porque diz que o canto é a terra onde a voz fortalece as suas raízes.