07
nov2021 domingo
15h30 Até 16h30

Encontros na Basílica V

Ourém
Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, Santuário de Fátima
Multidisciplinar Música

Sinopse

André Pereira é diretor do Departamento de Acolhimento e Pastoral do Santuário de Fátima, instituição a que pertence desde junho de 2015, quando integrou a Comissão Organizadora do Centenário das Aparições de Fátima e o Serviço Executivo do Centenário. Fez a sua formação teológica na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, desenvolvendo particular interesse pelos âmbitos de reflexão da teologia fundamental. Tem situado o pensamento e o estudo no horizonte hermenêutico-teológico do acontecimento e da mensagem de Fátima. Colabora regularmente, como docente, com o Centro de Cultura e Formação Cristã da diocese de Leiria-Fátima.

 

Palestra

«Eu nunca te deixarei»: Fátima como acontecimento, lugar e mensagem de esperança

Confiança e entrega, promessa e compromisso, luz e testemunho, graça e misericórdia, paz e céu… eis algumas das palavras com que podemos traduzir a esperança que Fátima é e diz. Da surpresa do acontecimento, que abre em tom de confiança e conclui com horizontes de graça e misericórdia, à beleza da mensagem, que derrama a luz da boa nova sobre as sombras do desespero, tudo condensado num lugar que se ofereceu e oferece como possibilidade para o encontro com o Deus da bênção e da promessa, tudo em Fátima fala desse luminoso rasgo de esperança que aponta a vida à sua finalidade – o cumprimento pleno e definitivo em Deus. Assim o perceberam e viveram os pequenos videntes, que primeiro viram essa luz refletida em mãos maternas e agora a veem, face a face, no próprio rosto daquele em quem creram e esperaram.

 

 

Sílvio Vicente, organista do Santuário de Fátima, desde 2009, é mestre em Música pelo Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro, onde defendeu a dissertação “Louis Vierne – Do estudo da narrativa musical à performance do seu legado para órgão”, sob a orientação científica de António Mota. Além da vertente técnica, interpretação e improvisação neste instrumento, estudou também Composição, com Isabel Soveral, e Direção Coral e de Orquestra, com António Vassalo Lourenço. Paralelamente à sua atividade de organista, é também compositor e maestro. Em 2012, fundou o ensemble vocal Auri Voces, do qual é diretor artístico, dedicado à interpretação de música contemporânea. Além do conjunto de obras instrumentais que assinou, para este ensemble compôs várias obras, algumas de temática sacra, a cappella.

 

Nota ao Programa

O programa musical propõe um caminho pelo tempo e a história da música, cuja abertura se inicia com uma Toccata imponente em estilo concertato, caraterística proeminente do século XVIII. Em seguida, o coral medita no salmo 50, também conhecido por Miserere. O Homem que suplica o perdão não é abandonado no pecado, mas antes acolhido pela misericórdia infinita de Deus. O Prélude em dó # menor é uma obra composta para piano e um ícone do século XX, amplamente descrita como profunda e íntima. Foi também transcrita para Grand- Orgue por Louis Vierne (1870-1937) que, com diversas texturas e timbres provenientes deste instrumento, reveste a narrativa original com uma sonoridade ímpar. Por fim, o Final da Symphonie no 3, com três secções distintas (ABA’ + coda), explora tipicamente os recursos doGrand-Orgue em estilo Toccata.

 

Programa

Johann Sebastian Bach (1685-1750)

Toccata, BWV 538

Erbam’ dich mein, o Herre Gott, BWV 721

 

Sergei Rachmaninoff (1873-1943)

Prélude em dó # menor, Op. 3 n.º 2

[transcrição para Grand-Orgue por Louis Vierne (1870-1937)]

 

Louis Vierne (1870-1937)

Final da Symphonie n.º 3 em fá # menor, Op. 28

Ficha técnica

Palestra: «Eu nunca te deixarei»: Fátima como acontecimento, lugar e mensagem de esperança | André Pereira

Recital: Sílvio Vicente, Órgão

Outras informações

O Encontro decorre segundo as normas da Direção Geral de Saúde para os Eventos Culturais.