18
AbrQuinta
14h00
Até
27
JulSábado
17h00

EXPOSIÇÃO TEMPORÁRIA: ALVÃO EM ALCOBAÇA. PAISAGEM RURAL

Alcobaça
CENTRAL DA CONFLUÊNCIA DOS RIOS – Jardim do Amor - Alcobaça
Museus Fotografia

Sinopse

Domingos Alvão foi aprendiz na Casa Biel. Guardou desse tempo a noção de espaço no fotografar, um olhar panorâmico sobre o meio. A partir dos anos trinta muitas das fotografias que são assinadas por si, (rubrica-carimbo da Casa Alvão) são de facto executadas pelo seu sócio Álvaro de Azevedo, de tal modo adaptado ao estilo Alvão que dificilmente hoje se distinguem autorias. A Casa Alvão era contactada por diversas entidades para a realização de vários trabalhos fotográficos, como é o caso do Instituto do Vinho do Porto, que em 1933, solicitou os seus serviços para o levantamento geral do território do Douro. Foi nessa época que surgiram ainda outras encomendas de grandes empresas como a Empresa Fabril do Norte, Empresa Industrial de Santo Tirso, Azevedo Soares e C.ª, bem como de Câmaras Municipais, Centrais Eléctricas, Hospitais, Instituto Nacional do Trabalho e Previdência, etc. É neste quadro de encomendas que na década de 30 (século XX) Alvão se desloca a Alcobaça para proceder a um levantamento fotográfico do concelho. Deste registo, para além do Mosteiro e da vila de Alcobaça, ganha destaque as belíssimas fotografias paisagísticas do território numa perfeita simbiose entre a arte e o documento «etnográfico». Por ocasião do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, este ano dedicado ao tema do património e paisagem rural, a presente instalação multimédia, a partir da digitalização das fotos originais pertencentes ao espólio documental do município, dá corpo a uma selecção apurada de cinquenta imagens desse registo a sépia da paisagem rural alcobacense da década de 30 (século XX) cujo tempo em algumas ocasiões soube preservar e, noutras, o homem decidiu alterar.