02
out2020 sexta
00h00
Até
28
fev2021 domingo
00h00

Habitar o Lugar. Exposição de Escultura de Thierry Ferreira

Leiria
Serviços Centrais | Politécnico de Leiria; Escola Superior de Educação e Ciências Socias | Politécnico de Leiria; Banco das Artes | Leiria Serviços Centrais | Politécnico de Leiria; Escola Superior de Educação e Ciências Socias | Politécnico de Leiria; Banco das Artes | Leiria
Artes Plásticas

Sinopse

Thierry Ferreira apresenta uma exposição de escultura-instalação, desenho e fotografia, intitulada “Habitar o Lugar” em três espaços, desde o edifício Sede do Politécnico de Leiria, passando pela Escola Superior de Educação e Ciências Sociais até ao Banco das Artes no Centro da Cidade de Leiria.   

A exposição desenrola-se em torno da ideia de Casa e de construção. Thierry Ferreira viveu em muitas casas e participou na construção de todas. São nítidas as lembranças dos espaços da sua primeira casa em França. As casas em que viveu tinham todas uma caraterística, estavam sempre inacabadas ou em processo, este é o mote para pensar plasticamente a ideia de casa e construção.

Nota Biográfica

Thierry Ferreira, nasceu em 1970 em França. Licenciado e mestre em Artes plásticas pela Escola Superior de Artes e Design do Politécnico de Leiria (2009 e 2017), vive e trabalha entre Alcobaça (Portugal) e Le Plessis Trévise (França). Com um percurso artístico de mais de 10 anos, dedicados à arte contemporânea 
nomeadamente à Arte Urbana, Escultura Pública e Vídeo Arte, tem sido premiado por diversas vezes em Portugal e no estrangeiro.
Em 2017 ganhou o 1º prémio no VII Prémio Ibérico de Escultura da Cidade de Serpa, assim como o Prémio “Bienal de Coruche – Percursos com Arte”, foi ainda menção honrosa no VII International Sculpture Symposium, no Tehran, Irão (2015).
Ganhou o primeiro prémio na Bienal Internacional de Escultura da Resistência, em Chaco, Argentina (2014), o 2º prémio no Festival Internacional de Arte Escultórica de Jingpo, China (2011), o 1º prémio de Escultura no Ansião, Portugal (2008), entre outros.
Thierry Ferreira tem desenvolvido esculturas públicas em diversas cidades internacionais e nacionais, como por exemplo, em Sept-îles (Canadá), nas Caransebes (Roménia), no Tehran (Irão), no Penza (Rússia), em Julienne (França), na Resistência (Argentina), em Rawabi (Palestina), Caldas da Rainha e Arrimal.
Com um percurso artístico diverso, várias foram as suas participações em projetos como o ”TIME is Love Screening” – international video art program, o “POP-UP“ Vídeo na Cerca da Josefa em Torres Vedras , a Exposição “Flashback” no Museu José Malhoa em Caldas da Rainha, o “Schizophrenia#2”- Façade Video Festival (Bulgária), o “Portas Abertas” um Fórum da Fundação Eugénio de Almeida em Évora, o “House of my Land3”, Festival NXNE (Canadá), o “Nouvel Accent” Espaço Internacional Cosmopolis, Nantes (França), o “Jogo de opostos” Centro de Artes São João da Madeira, o “90-10” a Exposição 20 anos – ESAD.CR, Edifício XXI em Lisboa, o “Anteciparte” no Museu do Oriente, Lisboa, o Salão de Arte Contemporânea de Montrouge, (França), o 5º Prémio de Escultura City Desk em Cascais, o 3º Prémio Baviera Artes Plásticas em Vila Nova de Cerveira, entre muitos outros.

Outras informações

Mais informações em [email protected]