25
jun2021 sexta
21h00 Até 23h30

Labirinto da Saudade

Lourinhã
Auditório Municipal da Lourinhã
Cinema

Sinopse

Exibição do filme "Labirinto da Saudade" de Miguel Gonçalves Mendes, que será seguida a uma conversa com o realizador, Miguel Gonçalves Mendes e o músico, autor da banda sonora do filme, Noiserv. A conversa será moderada pela Sara Gonçalves (psicóloga clínica).

"O Labirinto da Saudade, adaptação da obra homónima, é um ensaio documental narrado pelo próprio Eduardo Lourenço que percorre os espaços da sua memória e da própria história e identidade portuguesa, em busca da resposta do que é, afinal, isto de se ser português.

Um grupo de amigos do professor Eduardo Lourenço que têm tido o privilégio de lhe estarem próximos, onde se destacam os nomes de António Ramalho Eanes, José Carlos de

Vasconcelos, Luís Sequeira, Pilar Del Rio, entre outros, decidiram celebrar a sua vida e obra através da realização de um documentário cinematográfico que se constituísse como uma herança para as gerações vindouras. Eduardo Lourenço é uma figura ímpar da cultura europeia e tor- nou-se uma referência obrigatória do pensamento filosófico portu- guês. A divulgação da sua obra é uma responsabilidade social e deve ser feita de forma a torná-la acessível a todos os públicos. Fazê-lo através da imagem cinematográfica, com a sua própria participação, foi um desafio aliciante que nos deu a conhecer o escritor, o filósofo, o pensador e, por detrás de todos, o Homem simples que se apresenta como cada um de nós. A produtora Longshot desde o início encarou este desafio como a oportunidade de apresentar Eduardo Lourenço na sua forma original e multifacetada, em que sobressaem os valores de toda uma vida dedicada ao conhecimento, ao sentido humano e à atenção permanente do evoluir da história, onde se cruza com figuras como Miguel Torga, Vergílio Ferreira, Sophia de Mello Breyner, Agostinho da Silva, José Saramago, entre outros. A Longshot, face à qualidade pretendida para o filme, convidou o realizador Miguel Gonçalves Mendes para dirigir uma equipa de exigência cinematográfica que, num ambiente de extraordinária beleza (Bussaco) pudesse captar a essência do extraordinário pensamento do “ator de si próprio”, Eduardo Lourenço."