02
Nov2023 Thursday
15h00
Até
31
Dec2023 Sunday
19h00

"LUNOTICS" de João Henriques | Exposição

Torres Vedras
Casa Azul ▲ Casa Azul ▲
Artes Plásticas

Sinopse

A exposição LUNOTICS do artista visual João Henriques, uma curadoria de Jorge Reis, apresenta na Casa Azul ▲, em Torres Vedras, imagens que o artista apropriou dos arquivos fotográficos da NASA. Fotografias que correram mal na jornada espacial de Apollo à Lua, que se fazem acompanhar por uma seleção que o artista fez de frases ditas por personalidades da história política e económica portuguesas do pós 25 de Abril. 

A opção por mostrar apenas imagens falhadas desta expedição, que simbolizava um hipotético potencial de colonização de novos mundos, parece ressoar com o paradoxal insucesso destas missões com provocante ironia. No entanto, encontra-se nesta exposição um inquietante paralelo com as fotografias na escolha que João Henriques fez das frases, também elas apropriadas, gravadas nas paredes da sala de exposição. Em ambos os casos, o signo, neste caso a imagem e a palavra, emancipa-se de qualquer referência, deslocando-se para uma espacialidade onde a abstração é dominante. Resulta numa curiosa operação onde a imagem se reserva enquanto documento, ou memória, e a palavra enquanto poder, honra ou testemunho, propondo uma nova linha temporal que é assíncrona de acontecimentos históricos.

Esta exposição está patente na Casa Azul ▲ em Torres Vedras, de 02 de Novembro a 31 de Dezembro.
Entrada Livre.

Adverte-se que o acesso à exposição é feito pela porta na lateral direita da Casa Azul ▲ e através de sete lances de escadas sem elevador.  

A EMERGE — Associação Cultural é uma estrutura financiada pela República Portuguesa/ Ministério da Cultura - Direção-Geral das Artes e pela Câmara Municipal de Torres Vedras.

Ficha técnica

Organização | EMERGE

Direção artística e de produção, curadoria e design cultural 
| Jorge Reis

Artista 
| João Henriques

Gestão de projeto cultural | Daniela Ambrósio

Fotografia, vídeo, comunicação e marketing cultural | Sérgio Roxo

Mediação de públicos
| Salomé Abreu

Montagem | Jorge Reis e João Henriques

Vídeo | Jorge Reis

Composição Sonora | Nuno Clímaco Pinto

Comunicação acessível | Acesso Cultura

Estrutura financiada pela República Portuguesa – Cultura / Direção-Geral das Artes e Câmara Municipal de Torres Vedras

Apoio | PERFORMACT, INCLUIR +

Apoio à impressão
 | A3 - Arte Gráficas

Parceiros estratégicos
 | A Bolha - Teatro com Marionetas

Apoio jurídico | PLMJ - Transformative Legal Experts

Parceiros media | Revista Umbigo, Rádio ONfm, Torres Vedras WEB, Antena 2

Outras informações

Inauguração no dia 02 de Novembro às 18h30

De terça a sábado das 15h às 19h ou por marcação para o número whatsapp +351919182780 
_________

João Henriques

João Henriques (1967, Tomar). Ligado à Fotografia enquanto arte visual desde 2010, e à programação e curadoria em Fotografia, desde 2020. Possui estudos superiores em Gestão de Empresas, Psicologia e Fotografia. Enquanto autor, explora a imagem no intervalo entre a superfície e a profundidade, e enquanto mediação do real e da imaginação, para a projeção e construção de significado no mundo. 

Jorge Reis
Mestre em Criação Artística Contemporânea em 2011 pela Universidade de Aveiro. É formador certificado nas áreas de expressão artística e design. É co-fundador, curador-produtor, designer, consultor de arte contemporânea, mediador de arte, coreógrafo e vice-presidente da EMERGE — Associação Cultural para a Promoção de Arte Contemporânea. Recebeu 2 prémios em artes e criatividade. Atua na área das humanidades com ênfase nas artes visuais. Os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: criação artística contemporânea; organização de eventos; galerias de arte contemporânea; marketing de serviços; comunicação nas organizações; desenvolvimento local; desenvolvimento cultural; artes visuais; arte emergente; organização de eventos culturais; arte, ciência e tecnologia; artes plásticas. Realiza exposições desde 2010 como curador de arte contemporânea.

Os temas com os quais tem vindo a trabalhar, cruzam a relação entre arte contemporânea, ciência e tecnologia – enlaçados pelo conceito de estética relacional de Nicolas Bourriaud (2009) onde se promovem encontros intersubjectivos.

Programador da Casa Azul ▲, espaço gerido pela EMERGE cedido pela Câmara Municipal de Torres Vedras. Criador e curador da Guerrilla Gallery. 

Jorge Reis atua como artista visual através do seu alter ego Giorgio Sier. Expõe desde 2003 interessando-se pela relação entre arte e baixa e alta tecnologia, ao trabalhar com a ideia de erro tecnológico no abismo do colapso digital global. 

Na música Jorge atua no universo da música eletrónica desde os anos 90 através do seu alter ego Klobs Lockbenz Ozzisch, ou mais simples, KLO, tendo lançado um álbum em 2001, Bonus Tracks, e, mais recentemente, o single Distorted Piñatas, ambos disponíveis em todo o mundo através das habituais plataformas de streaming. Prepara-se para lançar o seu novo álbum que adopta o título do single Distorted Piñata.