28
out2022 sexta
17h30
Até
03
dez2022
16h30

Mar_a_navegar ~~~ 5 anos no Oeste, Trabalhos de mãos de Margarida Bom aka

Lourinhã
Galeria Municipal da Lourinhã
Artes Plásticas

Sinopse

Todas as artes que a Humanidade tem vindo a exercer, de há 5 mil anos a esta parte, resultam de diálogos interiores a que não consegue fugir e que a empurram para processos de representação externa, sob as mais variadas formas. Das discretamente lavradas em artefactos de uso corrente (decoração de vasilhas de cerâmica, de peças de tecelagem, ferramentas, armas, etc.) às exibidas em momentos especiais da vida das comunidades (enterramentos, expedições de caça, danças e rituais, processos de escolha dos chefes e jogos, por exemplo), tanto em tempos remotos como na atualidade.

Assim pomos a nossa voz no mundo: usando a materialidade das nossas criações para partilhar algo que nos questionou, que nos tocou, que aportou mais sentido, beleza ou emoção ao quotidiano. Partilha que também ajudará quem a vir… Que mais não seja inquietando, primeiro, e, depois, banindo quaisquer dúvidas sobre o nosso direito ao exercício de todas as possibilidades criativas a que queiramos deitar mão para nos exprimirmos…

Os diversos trabalhos - desenhos, pinturas, colagens, gravuras, peças de tecelagem, fotografias, escritos, recriações, instalações - que agora se expõem, sejam peças artesanais ou mais sofisticadas, são simultaneamente lúdicos e, de alguma forma, também utilitários. Um puzzle que foi ganhando forma desde que me instalei no Oeste, virando costas à babel alucinada, sufocante, da grande cidade, há precisamente 5 anos. Coisas da Senhora dos Lobos*, enfim…

Uma aventura intrincada e gratificante, vivida com um brilhozinho nos olhos. Desfrutando, grata, das oportunidades que a paisagem, o ambiente sociocultural da Lourinhã, a afabilidade e a abertura de gentes e de coletivos de variadas índoles, espalhados pelo concelho, proporcionam.

Ficha técnica

Nascida e criada em Lisboa, onde trabalhou e viveu até à aposentação, Margarida Bom (MarBom) aproveitou a primeira oportunidade com que se deparou, aos 57 anos, para se pré-reformar, deixando para trás mais de 34 anos de trabalho empenhado e gratificante mas monopolizador de todo o tempo e disponibilidade mental. Finalmente livre de obrigações, era chegado o momento de dar vazão a anseios antigos…

Primeiro, a escrita. Durante ano e meio dedicou-se a construir o seu primeiro livro – As Luas dum Caracol -, apresentado em Dezembro de 2016, na sede da Umar (União de Mulheres Alternativa e Resposta), em Lisboa.

Experiências imediatamente anteriores marcantes, como

  • Participação na performance original “esPassos III”, de Yola Pinto e Companheiros (produção da Culturgest);
  • Participação nos eventos da vertente “Uma HORTA em cada esquina”, do extenso programa “Mais para Menos que para Mais”, de Vera Mantero e Convidados (produção da Culturgest e do Maria Matos Teatro Municipal);
  • Colaboração no cultivo de hortas urbanas, em Lisboa e no Oeste;
  • Sessões de trabalho de Arte Integrada e outras;

e, por último, a decisiva ação de

  • Voluntariado no Centro de Recuperação do Lobo Ibérico, no Gradil, Mafra, no verão de 2017

escancaram-lhe, no regresso a Lisboa, uma evidência: a sua cidade, no ponto de deterioração dos mecanismos de funcionamento a que chegara, para além de outros aspetos imateriais, tornara-se insuportavelmente antinatural, tóxica.

Esta convicção e uma panóplia diversificada de interesses eletivos que lhe pediam espaço, alavancaram a urgência de uma mudança radical de paradigma!  

Ciente do que pretendia realizar, procurou um chão adequado para esta desafiadora, nova aposta de vida. Encontrou-o aqui, na Lourinhã, numa pequena aldeia nos limites do concelho, onde o Planalto das Cesaredas se inclina para o vale tifónico de Bolhos. Um projeto de vida que batizou de Senhora dos Lobos e se desenvolve nas vertentes de um quotidiano com preocupações ambientais, numa esfera criativa em expansão e nas possibilidades duma intervenção comunitária evolutiva, aglutinando as sinergias que fluem em si e ao seu redor…

 

AGRADECIMENTOS________________________________________________

  • Aos artesões/artistas/professores/amigos que, partilhando comigo os seus saberes, iluminaram o meu caminho:

Ana Ramos (Pintura, Lourinhã)

Carolina Canha (Tatuagem, Lourinhã)

Célia Bragança (ESAD.Caldas da Rainha, Politécnico Leiria)

Daniela Crespi (Atelier de Gravura Contraprova, Lisboa)

Ekaterina Lipikhina (Tecelagem, Lourinhã)

Inês Clematis (Arte Integrada, Lisboa)

Isabel Mateus (Lourinhã)

Juan Sebastian Carnero (Gravura, Buenos Aires)

Marcela Manso (Atelier de Gravura Contraprova, Lisboa)

Nelson Fonseca (Marcenaria de Restauro e Conservação, Bombarral)

Nilma Hunter (Ourivesaria, Peniche)

Raf Cruz (Colagem, Lourinhã)

Sílvia Mateus (Projeto Metamorfoses, Lourinhã)

Simão Mateus (Lourinhã)

 

  • Aos técnicos e entidades que tornaram possível a concretização desta exposição e eventos associados:

Câmara Municipal da Lourinhã

Ana Luz (C. M. Lourinhã)

João Ferreira (Portefólio, Lourinhã)

Mariana Pignatelli (Lourinhã)

Sandro Barreiras (Lourinhã)

_____________________________­­­­­­­­­­­­­­­­­_____________ Bem hajam!  

Outras informações

Público-alvo: Público em Geral

Entrada Livre