21
nov2020
10h30
Até
23
dez2020 quarta
16h30

Sombras inorgânicas das silhuetas de um organismo celular

Lourinhã
Galeria Municipal da Lourinhã

Sinopse

Na sequência destes desenhos, procura-se a exploração de silhuetas como se as mesmas fossem inscritas nos limites de um olhar microscópico sobre formas celulares e respetivo contágio contínuo. Trata-se de imergir num mundo omnipresente, e no entanto invisível, da vida das células na transformação criadora. Acerca desta, imagina-se o que na nossa imaginação não cabe senão com referência à inteligibilidade da análise científica. Porém, tudo isto se possibilita, independentemente de sua razão científica, num desenho em que só se represente a projeção sensível da sombra, da configuração dos indícios, de uma relação sensível com a atividade, impercetível mas, física. O resultado: uma síntese em que se nivela a complexidade orgânica, através de uma recriação inorgânica. O caminho para esse resultado: a evolução de uma (re)criação cujo fluxo seja uma expansão. O que carateriza este tipo de expansão: passa por um potencial  multiplicativo, que descreve uma criação que possa ser um fractal, mas que deixa de o ser, por força do impulso criativo, sempre que este se alimente pelo incontrolo do contágio sensível entre as formas, à semelhança da relação celular que nos conduz enquanto seres.

Outras informações

Pequena biografia do artista:

Luís Filipe Salgado Pereira Rodrigues (1971) Doutorado em Desenho pela FAUL (2018); Mestre em Educação Artística pela FBAUL (2007); Licenciado em Artes Plásticas-Pintura pela FBAUP (1996). 1º Prémio, Artes Plásticas da Fundação Inatel (2015) (desenho). Coleções que integram um desenho: Museum of Geometric and MADI Art, Dallas, USA; Fundação Escultor José Rodrigues; Silk Road art Foundation of Xian, China; OSTEN Collection, República da Macedónia (…). Exposições individuais de desenho: Centro Cultural e de Congressos das Caldas da Rainha (2018); Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal (2015); Galeria Monumental, Lisboa (2013); Ars GEometrica Galéria, Eger (2013/2014), Hungria. (…). Exposições coletivas (com desenho): Osten Biennial of Drawing (Osten Skopje), Macedónia (2020); Bienal de Desenho de Almada (2020); Contemporary Art Northapton, Londres (2018); Galeria São Mamede, Lisboa (2017); Osten Biennial of Drawing (Osten Skopje), Macedónia (2016); “International Drawing Triennial Black and White, Tallinn, Estónia. (2015); XVII Bienal de Arte de Cerveira (2015); Propeller Centre for the Visual Arts Black and White, Toronto (2014).