20
dez2021 segunda
00h00
Até
28
fev2022 segunda
00h00

“VIAJAR” | Exposição de desenho de viagem de João Catarino e José Josué

Leiria
Biblioteca da Escola Secundária Domingos Sequeira Biblioteca da Escola Secundária Domingos Sequeira
Artes Plásticas
Biblioteca da Escola Secundária Domingos Sequeira

Sinopse

“Viajar” é o título da exposição de desenhos e cadernos de viagem de João Catarino e José Josué. Esta exposição que já circulou por todas as bibliotecas do Politécnico de Leiria, e que agora no âmbito da colaboração com o Plano Nacional das Artes se expõe na Escola Secundária Domingos Sequeira, mostra como se pode descobrir um mundo novo, por vezes à porta de casa, ou mais longe, se aceitarmos o repto de Bertrand Russell de que não vale a pena viajar como turista rico, mas sim como turista pobre. Como turista rico veremos exatamente o mesmo em qualquer parte do mundo, como turista pobre descobriremos as particularidades e singularidades de cada lugar e comunidade.

Viajar implica risco, disponibilidade para o improvável, para o desvio, o encontro, o olhar atento que segue o pequeno arbusto até à paisagem banhada pela luz do sol.

José Josué e João Catarino, pertencem a uma categoria de pessoas, que insistem em viajar pelos lugares e não pelos não-lugares. Pegar nas malas dirigir-se a um aeroporto, sair de uma cidade e aterrar em outra, transforma o espaço percorrido numa abstração sem sentido. Pelo contrário, viajar de bicicleta, ou de transportes públicos, é percorrer integralmente a tessitura espaciotemporal dos lugares e das pessoas que neles habitam.

Antes da divisão dos saberes e formações tomar conta do nosso contexto, e das ciências e tecnologias excluírem as humanidades, e das artes excluírem as ciências, grandes escritores e filósofos eram excelentes desenhadores, lembre-se o caso de Goethe, que de uma investida só, fez mais de 4000 desenhos, publicou o seu livro “Viagem a Itália” e concebeu a sua “teoria das cores”. Lembre-se como Alexander Von Humboldt necessitou do desenho para esquematizar as suas viagens e a sua reflexão escrita. Lembre-se como a revolucionária teoria da “origem das espécies” de Charles Darwin deveu tanto à observação como ao desenho meticuloso de outros naturalistas como os do português Arrua Furtado ou Alfred Wallace.  

Viajar e desenhar é uma forma de conferir sentido e expressão à viagem, dá-lhe um propósito ao mesmo tempo que se entregam os sentidos e o intelecto a uma gama grande de emoções. “(…)existe uma grande diferença entre ver uma coisa sem o lápis na mão e vê-la desenhando-a. Ou melhor, são duas coisas muito diferentes que vemos. Até mesmo o objecto mais familiar aos nossos olhos se torna completamente diferente se procurarmos desenhá-lo: percebemos que o ignorávamos, que nunca o tínhamos visto realmente” diz Paul Valéry em “Degas Dança Desenho”. O desenho de viagem é a prova de que o viajante esteve em tal sítio num determinado tempo, mas é também a prova de que ele quis compreender de forma mais profunda do que o comum dos viajantes, a experiência e os lugares por onde passou, compreender e expressar esse sentido da viagem é o propósito maior destes desenhos, que se realizaram de uma determinada maneira e que, mesmo que um dia retornassem ao mesmo lugar da sua criação, não se repetiriam.  

Ficha técnica

FICHA TÉCNICA:

Curadoria
Samuel Rama

Programação
Samuel Rama
Dulce Correia
Natália Caseiro

Produção
Bibliotecas do Politécnico de Leiria
Sónia Gonçalves
Vera Miguel

Design Gráfico
Francisco Moreira

Comunicação
Francisco Moreira
Liliana Gonçalves

Agradecimentos
Escola Secundária Domingos Sequeira
Fernando Poeiras
Júlio Silva

Outras informações

Mais informações disponiveis aqui.