03
nov2022 quinta
21h30 Até 23h30

Vida de Artistas

Leiria
Teatro José Lúcio Da Silva Teatro José Lúcio Da Silva
Teatro

Sinopse

LEO Eu amo-te. Tu amas-me. Tu amas o Otto. Eu amo o Otto. O Otto ama-te. O Otto ama-me.

Noël Coward, Vida de Artistas

Noël Coward escreve Vida de Artistas para cumprir um pacto celebrado 11 anos antes entre o próprio e os seus dois amigos, Alfred Lunt e Lynn Fontanne. “Os Lunt”, como eram conhecidos, tornaram-se o mais celebrado casal do teatro na América, mas, em 1921, quando Coward os visitou em Nova Iorque, estavam a começar a viver num alojamento barato para atores em dificuldades. Coward também ainda era relativamente desconhecido, mas partilhava com Lunt e Fontanne uma fome por fama e sucesso. A produção estreou na Broadway em 1933 e, depois, em Inglaterra, com imediato sucesso crítico e comercial, apesar das suas personagens amorais e da proclamada bissexualidade. Dela disse Coward: “Gostaram e detestaram, odiaram e admiraram, não sei se realmente a amaram. São criaturas superficiais, sobre-articuladas e amorais movidas pelo impacto das suas personalidades uns sobre os outros, são traças à volta da luz, incapazes de tolerar a escuridão solitária e igualmente incapazes de partilhar a luz sem colidirem constantemente, ferindo as asas uns dos outros.”

«A frivolidade só é frívola para aqueles que não são frívolos», diz a Madame De na obra-prima de Max Ophüls. E podia aplicar-se a este teatro de dinner jackets, champanhe, rosas, camélias e muita malícia. Quanto veneno, quanta maldade, quanto amor perdido? Um grande autor «menorizado» e fundamental. Depois de Pinter, Williams, Miller, quem? E com um sorriso de compreensão pelas fraquezas humanas. Ah, como eu gosto de Noël Coward. Como quem ‘não quer a coisa’, com um brilho único, anda connosco há quase um século, despistando, contrariando ideias feitas, na curva da História. Frívolo? Ou realmente profundo? Fantasista ou realmente realista? Olha: teatral, aposto.

Jorge Silva Melo

ESPETÁCULO APOIADO PELA DGARTES/ RTCP

 

Ficha técnica

VIDA DE ARTISTAS de Noël Coward
Tradução José Maria Vieira Mendes
Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves
Luz Pedro Domingos
Som André Pires
Assistente Nuno Gonçalo Rodrigues e Noeli Kikuchi
Encenação Jorge Silva Melo
Coprodução Artistas Unidos / SLTM / TNSJ