7ª questão – um lugar para o turismo cultural

Uma reorientação do turismo (em fuga dos territórios de alta densidade, do alojamento em grandes unidades turísticas e dos grande eventos e festivais), pode beneficiar uma mais rápida recuperação do turismo cultural. Mas que tipo de turismo cultural poder ser aliado das artes e da cultura? O turismo cultural associado ao de natureza? O turismo cultural de experiência e participação? Um turismo cultural que faz do turista um cuidador do património, da arte e da cultura?

O seu comentário foi submetido com sucesso. Receberá no seu e-mail uma confirmação.

Comentário
Os seus dados
3 Comentários
Luis Figueiredo
Técnico Superior
07 jun 2020
A pandemia atual de Cóvid-19 veio pôr a nu alguns dos problemas nas vilas e cidades, onde é preciso um equilíbrio entre turismo e moradores, para não transformar estes bairros habitacionais (alguns bastante antigos) num deserto, em bairros quase fantasma, onde precisamos de ter o comércio tradicional, voltar a ter as mercearias, as tabernas, a frutaria, a peixaria e também pessoas a viver dentro destes bairros. Terá de haver contacto e calor Humano nestas interações.
Apesar de se notar bastante nas pessoas a tristeza destes momentos, houve nestes lugares em tempos – antes Cóvid-19, uma situação de convivência das pessoas locais com os turistas, e que era elevada, mas estas “gentes” trazem no entanto algum contentamento, pelo alívio da enchente desses mesmos turistas, porque agora respira-se melhor, não há barulho, porque antes era horrível e agora até se voltou a ouvir falar português.
O novo-normal trará mais equilíbrio aos territórios?
Luis Figueiredo
Técnico Superior
28 mai 2020
O turista cultural é motivado em parte pela procura da diferença, pela procura da qualidade e pela realização pessoal, e esta procura vai muito para além dos museus e dos monumentos e passa pela imagem e por um estilo de vida próprio.
A procura, a nível do turismo cultural, segundo a OECD é estimulada por um conjunto de fatores:
Aumento do interesse pela cultura, como um factor de identidade e diferenciação face à globalização;
Níveis elevados de capital cultural, estimulados por crescentes níveis de educação;
Envelhecimento das populações nos países desenvolvidos;
O estilo de consumo moderno, o qual dá prioridade ao desenvolvimento pessoal;
A crescente importância da cultura intangível.
A crescente mobilidade, facilitando o acesso a outras culturas.
O grande desafio que se coloca às sociedades que recebem fluxos de turistas culturais passará a centrar-se na própria produção cultural.
E a tentação de criar produtos “culturais” de consumo turístico imediato é grande. Devemos ter em conta que a forma de garantir a sustentabilidade futura do turismo cultural é garantirmos a autenticidade da produção cultural.
Patrícia Martins
Técnico Superior de Animação Cultural
22 mai 2020
Terá de se encontrar um equilibro e proporcionar espaço de subsistência a todos, não descuidando também a reflexão em torno dos festivais "de massas" e do seu impacto no turismo e na economia dos territórios.
Numa escala mais pequena e pensando as dinâmicas em torno do turismo cultural é mais uma vez importante refletir na cultura de experiências, da fisicalidade e do envolvimento, cuidando a preservação do património e acautelando o desgaste decorrente do turismo excessivo e de eventos de massas.
A nível artístico e cultural será importante criar também marcos territoriais, lugares e experiências diferenciadoras ( ao invés de não lugares) que induzam interesse e vontade de conhecer o território, de estar presente, de visitar, de tomar parte, de experienciar o território, o seu património e a sua "oferta"artística e cultural.